3 principais dificuldades das cantinas na pandemia

Compilamos neste Papo de Cantina as 3 dificuldades e soluções encontradas por diversos parceiros que entraram em contato conosco nos últimos 15 dias.

 

Preparação para a reabertura da cantina escolar

Bom dia para você que já voltou a operar e também para você que ainda está com dúvidas sobre o retorno presencial.


Nesse Papo de Cantina, fizemos uma análise sobre as dificuldades que a pandemia trouxe para o nosso mercado de cantinas escolares e quais foram as medidas que nossos parceiros tiveram que tomar para enfrentar este momento.


Custo de aluguel, funcionários, estoque, gestão de crise... Tudo isso está acontecendo e nós convidamos nossa comunidade para partilhar as boas práticas que cantinas escolares parceiras encontraram nesse retorno presencial.


Vamos lá?

 

1. Gestão das despesas

Acreditamos que a primeira dificuldade comum, não só as cantinas escolares, mas a todos os setores e fornecedores ligados ao mercado de escolas particulares, é justamente as contas fixas e variáveis.


Como a maioria das cantinas são terceirizadas, o aluguel configura a base da pirâmide de despesas em uma cantina escolar:




Em um cenário de operação normal, o estoque e os funcionários viriam em seguida como os principais custos fixos.


Como lidar com tantas despesas? Essa foi a principal dificuldade dos nossos mais de 400 parceiros. E também a nossa e de todos os envolvidos no mercado de educação.


Em Março de 2021, tivemos uma redução de 80% nos tickets emitidos.


Essa é a primeira dica: ao negociar com a escola ou fornecedores, é importante demonstrar que essa não é uma crise da cantina, mas uma crise do mercado, que provavelmente está sofrendo deste mesmo tipo de redução de faturamento.


Boas práticas


 Negociar com a escola uma condição relacionada ao volume de vendas

 Apresentar os números e ser transparente junto à escola em uma negociação

• Otimizar o ambiente para produção caseira

• Praticar vendas antecipadas


 

2. Gestão de Produtos


Não confunda a diversidade das famílias com abraçar um universo de possibilidades no seu cardápio! Esses dados abaixo são das mais de 400 escolas em que operamos e podem ajudar a ajustar o foco para o que mais importa.


Em um cenário normal, um cardápio com mais de 100 produtos já pode ser um problema de logística e gestão. Na pandemia, com a cantina operando com 35% da capacidade, cada vez mais no modelo delivery, pelo agendamento de lanches, ter previsibilidade da demanda é um grande desafio.


Boas práticas


• Identificar quais são os produtos "carro-chefe"

• Apostar na confecção caseira de produtos (mais nutritivo e com maior margem)

• Manipular produtos (reduzir a porção e proporcionar um preço mais atraente)

• Apresentação dos produtos (embalagens, divulgação, redes sociais)

 

3. Comunicação


Nós entendemos que a credibilidade é algo fundamental para iniciar toda relação baseada em conquista de confiança.


Essa dinâmica de conquista de confiança dos responsáveis na cantina escolar acontecia, principalmente, no carinho do dia a dia e em grandes eventos escolares - momentos em que os responsáveis estavam presentes - como as festas juninas.


Com a pandemia isso mudou. Agora temos mais insegurança e menos pontos de contatos. A digitalização da comunicação foi necessária.

Para aplicar as boas práticas que sugerimos abaixo, recomendamos fortemente a leitura desses artigos:


3 posts que toda cantina deveria ter no Instagram


Boas práticas


• Criar uma página de Instagram e convidar responsáveis

• Apresentar conteúdos como fotos de produtos e bastidores de produção • Demonstrar o dia-a-dia e as medidas de segurança tomadas

 

Espero que tenha gostado das dicas. E para apoiar essa causa, lançamos a campanha Se for Lanchar, lanche na cantina escolar! Clique para saber mais.


Desejamos um excelente e seguro retorno a todos. Para assistir a live completa, clique aqui.


Até a próxima!

114 visualizações